Parte Prática de Sobrevivência vivenciada pelas Turmas 2, 3 e 4 em 19 e 20 de outubro de 2013

Na expectativa da viagem: Lucyara Martins, Thaís Mello, Jennifer Tiplady, Ariane Antunes e Joryda Santos.

Os alunos da Educar se saíram muito bem na aventura vivenciada na Serra dos Órgãos, em Teresópolis. Lá, eles foram chamados a experimentar, na natureza, situações inusitadas, simulando a necessidade de sobrevier na selva, no mar e aprender técnicas de combate ao fogo e os primeiros socorros pós-acidente aéreo.

Em abrigo

A Educar segue a exigência da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) (www.anac.gov.br) quanto à necessidade da vivência da parte prática pelos alunos, mas, devido a sua relação de confiança com os mesmos e à parceria com seu grupo de Instrutores, vai além: a prática dura dois dias, ou seja, com um pernoite dentro da mata atlântica, o que viabiliza uma maior integração com o ambiente e um aprofundamento na vivência, tornando-a mais próxima de uma real necessidade de sobrevivência.

Dedo de Deus

A aventura, que durou um final de semana, foi realizada em Teresópolis – região serrana do estado do Rio de Janeiro.

A Equipe de profissionais

A expectativa e, até em certo ponto, o receio natural dos alunos em vivenciar uma situação tão diferente, encontrou na Equipe de Instrutores:  Gilton Júnior, Márcio Vieira, Beto Maia  e Luiz Octávio a segurança necessária para que sentissem autoconfiança e motivação para enfrentar os desafios que viriam pela frente com liberdade e criatividade.

Deslocar-se à noite na mata requer muita concentração

Nas atividades previamente organizadas pela Equipe de Instrutores, os alunos treinam técnicas de:

. Sobrevivência na selva

. Sobrevivência no mar

. Combate ao fogo

. Primeiros socorros pós-acidente aéreo

    Sobrevivência na Selva: 

Nesta etapa, os alunos, dentro da mata atlântica, são obrigados a vivenciar e se confrontarem com um ambiente oposto ao habitual urbano.
Longe do conforto, da praticidade, do conhecido, são realmente postos a se “virarem” na natureza, em condições precárias, simulando um acidente.

Importante ressaltar algumas principais características de nossa mata atlântica brasileira, e consequentes dificuldades a serem enfrentadas.

A multiplicidade da vegetação: árvores, folhas, galhos diversos… A natureza toda é “entrelaçada”, tudo é ligado a tudo, não tem quase separação, por isso a referência fica muito difícil. A localização de onde se está e para onde se vai e a locomoção num terreno tão irregular exige atenção e orientação.

A umidade é uma questão também a ser enfrentada, tudo é muito molhado. Preparar um local seco para abrigo passa a ser um desafio. Além disso, os alunos tem que se adequar ao terreno, criar um ambiente mínimo de conforto para pernoitar. Assim, eles são instruídos e aprendem a montar diversos tipos de abrigo.

   Aprendendo a sobreviver:

Felizmente, a água nas regiões de clima tropical não é escassa, mas a questão do alimento a ser ingerido requer conhecimento. Para isso, aos alunos são orientados a identificar, preparar os alimentos e cozinhá-los.

Que frio!!!!

Psicologicamente, também são instruídos para enfrentarem o medo, o desconhecido e a si mesmos, estando em grupo. Para isso, o diálogo, a calma, o bom senso, a união e a fé são fundamentais para a sobrevivência.

    Sobrevivência no mar:


 Aqui, os Instrutores ensinam como utilizar os mesmos equipamentos que encontramos a bordo, como coletes e botes salva-vidas.  A técnica e a calma nesses casos são essenciais.

A união e o equilíbrio são fundamentais nesta hora.

    Primeiros socorros pós-acidente aéreo:

 

Com a devida instrução, os procedimentos imediatos pós-acidente são imprescindíveis e podem fazer a diferença na sobrevivência.

Os alunos aprendem os procedimentos básicos para tratar traumas, improvisando tipoias; fazendo curativos em feridas; massagem cardíaca, a maneira correta de deslocar o acidentado e etc.

    Combate ao fogo:

Os alunos da Educar mostraram disposição, garra e coragem nesta hora!

O combate direto.

 Este é um campo de queima alimentado a base de petróleo.

Parabéns!!

A Educar agradece a todos que colaboraram para que a Parte Prática pudesse se desenvolver de forma tão bem sucedida!

Obs: essa postagem está em construção, pois aguarda VOCÊ ALUNO, que vivenciou intensamente esse desafio.
Assim, ninguém melhor que VOCÊ para relatar essa experiência única. Ajude-nos a tecer com  mais fidelidade esse registro de uma vivência tão especial.
Dê a sua colaboração, enviando fotos, filmes e textos ou a sua voz gravada, enviando para: blog.educar.aviacao@gmail.com

Anúncios

4 comentários sobre “Parte Prática de Sobrevivência vivenciada pelas Turmas 2, 3 e 4 em 19 e 20 de outubro de 2013

  1. Anselmo você vai chegar aonde você quiser, você é gente prá ccccccccccccc, e eu vou está sempre torcendo e batendo palmas pelo seu secesso, você merece.
    Bjs Norma

  2. “Não sonho em lecionar para sujeitos que se comportam como alunos! Estes, como o próprio vocábulo apregoa, são pobres infelizes “sem luz” e que podem, para o bem ou para o mal, ser dirigidos por “iluminados” tirânicos. Sonho sim em ter, sob minha responsabilidade, estudantes, que, – oh, redundância absoluta! -, estudam e compreendem o mundo por si próprio.”
    MIGUEL M. ABRAHÃO na obra O BIZANTINO

    PARABÉNS AOS MEUS QUERIDOS ESTUDANTES QUE SOBREVIVERAM COM MAESTRIA!!!!

    BEIJO NO CORAÇÃO DE VOCÊS!!!!!

    MARCIO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s